Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

... que eu se calhar acredito em contos de fadas ...

Há cerca de um mês fui a um badalado espaço de Lisboa com uma amiga. Tínhamos acabado de pedir uma bebida e ao ver uma mesa, disse-lhe:

- Anda, ali há lugares.
- Não, eu fico aqui com o S.
- Quem é o S.???
- Está aqui ao meu lado! - e faz sinal com a cabeça para um belo espécimen do sexo oposto que eu nunca tinha visto na vida.
- Mas conheces?...
- Não!
- Como sabes o nome?
- Ouvi os amigos a chamarem por ele.

Por um acaso, ou apenas por Lisboa ser pequenina, voltámos a vê-lo passados 15 dias e novamente a semana passada, quando ele se encheu de coragem e estabeleceu contacto. S. é o que as mulheres tipicamente rotulam de "cabrão", mesmo antes de lhe ouvirmos a voz. Estereótipos, eu sei. Não me debruço sobre essas questões sociológicas, mas é um facto que nenhuma mulher olha para um homem daqueles e acha que a coisa vai correr bem. Claro que não correu bem. Fez o que agora parece ser uma nova função fisiológica dos homens: uma explosão de atenção durante alguns dias, seguida do desaparecimento da face da terra. É como acender um fósforo ao vento, extremamente frustrante.
As mulheres solteiras só querem encontrar um homem com quem se possa conversar! Sair uma vez ou duas! Conhecer a pessoa por trás da barba, caramba! Cheguei à conclusão que homens solteiros que sejam simultaneamente bons rapazes são um mito urbano, pelo menos no que diz respeito à urbe de Lisboa. Ou não são (ainda) homens, ou não são (ainda) solteiros. (Sim, "ainda solteiros" porque o irão ser mais cedo ou mais tarde). Não me estou a referir a todos os homens, apenas àqueles que se mostram disponíveis e interessados quando não são nem uma coisa nem outra.
Há qualquer coisa nos homens de hoje em dia que me escapa. Um medo irracional de se relacionarem com as mulheres porque "não se querem prender". A pergunta é: prender a quê? Os relacionamentos só duram enquanto as duas pessoas quiserem. Do que tenho visto, as mulheres estão muito mais disponíveis para conhecer um homem do que o inverso. A velha máxima de "para os homens é currículo, para as mulheres é cadastro" está a desvanecer-se. E se o cadastro das mulheres está em vias de extinção, não se trata de uma mera questão social quando uma mulher diz que não. Trata-se apenas da sua vontade, porque acreditem: a partir dos 30, as mulheres fazem TUDO o que têm vontade de fazer, QUANDO têm vontade de o fazer. Deixam de se importar com o que os outros pensam e concentram-se apenas nas suas vontades e naquilo que as faz sentir bem. Spooky, right?...
Os homens continuam concentrados no seu currículo. Antes, e principalmente quando se aproximam dos 30. Tenham juízo e façam alguma coisa da qual tenham orgulho um dia. Por exemplo, passar tempo com uma mulher que vos despertou a atenção e correr o risco de serem surpreendidos! Ou não! De qualquer forma, qual é o pior que vos pode acontecer?...

Autoria e outros dados (tags, etc)

11
Fev14
O dia dos namorados está aí a chegar e vai ser só mais um dia. Em termos de namorado e em termos de emprego. Há desesperos aqui... e porquê? Porque tenho qualificações a mais!!! LOOOOL!!! Uma pessoa anda 5 anos na faculdade (sim, ainda sou do tempo em que as licenciaturas eram de 5 anos) e gasta umas dezenas de milhares de euros a tirar um dos melhores MBAs do mundo... para acabar neste estado. Ora vejamos o percurso: MBA - Call Center - Emprego - Emprego onde não pagam o ordenado (não me informaram que seria em regime de "voluntariado", se calhar fui eu que percebi mal...). É desesperante recorrer a contactos, candidatar-me a anúncios que têm tudo a ver com o meu perfil e não obter qualquer resposta. Estive num processo para uma multinacional e que estava mesmo muito bem encaminhado... até receberem de repente uma candidatura interna e todos os externos (que nesta fase eram 6 pessoas, incluindo eu) ficassem "pendurados". Tentei seguir o conselho do nosso Primeiro-Ministro e emigrar... mas devo estar a fazer alguma coisa mal porque toda a gente diz que o que está a dar é ir trabalhar para fora, mas nem daí tenho respostas.

Ora bem... espero que daqui venham algumas ajudas! Qual/quais os melhores locais/sites/etc. para procurar emprego no estrangeiro? E cá em Portugal... Marketing, alguém sabe de alguma coisa? De preferência no Grande Consumo ou na Indústria Farmacêutica! É pedir muito? Não preciso de ser milionária, pelo menos para já! Falem comigo, avaliem as minhas expectativas! Não me acho a última Coca-Cola do deserto, mas caramba! Sei que tenho capacidades acima da média e não deixo ninguém ficar mal! Esta Princesa precisa de uma ajudinha aqui da blogosfera :).

Autoria e outros dados (tags, etc)

27
Jan14

GRAMMYS!!!

por Princesa
Ontem estive acordada até de madrugada por um óptimo motivo! GRAMMYS! Não tenho palavras, só 3 vídeos que para mim foram os pontos altos da noite...





Autoria e outros dados (tags, etc)

Começo por dizer que fui aluna da Lusófona e conheço bem a praia do Meco - não por ter sido aluna, mas porque é e sempre foi uma das "minhas" praias. Fui praxada na Lusófona e também praxei. Fui ao mar no Meco e ia lá ficando. Assim, e apesar de nunca ter tido um papel muito activo nas Comissões de Praxe e afins, conheço o contexto mais do que a maioria das pessoas - pelo menos daquelas que mais se insurjem contra o que aconteceu.

 

É óbvio que a morte de 6 alunos foi uma tragédia. Isso é indiscutível. É também óbvio que os pais dos alunos que morreram têm TODO o direito de saber exactamente, ponto por ponto, o que se passou. Faz parte do processo de luto e é um direito inegável da família. Mas também é óbvio (pelo menos para mim) que o Dux não tem absolutamente culpa nenhuma no que aconteceu! Sei que em alguma Universidades as praxes são algo violentas. Não é o caso da Lusófona!!! Nunca conheci ou soube de algum caso em que os praxados fizessem alguma coisa que não quisessem de forma nenhuma. Não sei de nenhuma praxe em que tenha sido apontada uma pistola à cabeça de alguém obrigando-os a participar em alguma brincadeira. Até admito que já passou tempo suficiente para o Dux falar. Mas abomino totalmente o linchamento público que estão a fazer ao rapaz. Lembro (ou informo, conforme o caso), que o Dux ia morrendo também. Conseguiu sair do mar por mera sorte e chegou ao Hospital com sintomas de pré-afogamento, hipotermia e em estado de choque. Talvez a ideia de irem para a praia tenha sido dele. Talvez até tenha sugerido entrarem para o mar - num dia de alerta vermelho em toda a costa Portuguesa. Estupidez profunda, claro que sim. Homicídio? DEFINITIVAMENTE NÃO!!!

 

Quem nunca foi miúdo, que atire a primeira pedra! Quem nunca entrou no mar à noite, quem nunca conduziu com um copo a mais, quem nunca foi miúdo inconsequente, quem nunca entrou em brincadeiras questionáveis, que atire a primeira pedra! Aquilo que estou a ver (ou pelo menos assim me parece) são centenas de pessoas "perfeitas", que nunca fizeram nada com consequências diferentes das que inicialmente pensaram, a acusar um miúdo que decidiu ainda não se defender na praça pública. A quantidade de "teorias da conspiração" que estão a aparecer é uma coisa absurda! As "pistas" faladas na comunicação social são dignas de um sketch dos Gato Fedorento! E já agora... quem ganhou dinheiro com o filme de telemóvel "cedido" ao Correio da Manhã? E o que é que esse filme tem de tão extraordinário, já agora? Eu não vi nada que me fizesse torcer o nariz, mas se calhar sou eu que tenho vista curta!

 

É lamentável o que aconteceu, mas por favor... lembrem-se que já foram jovens, já fizeram disparates e felizmente para vocês, nenhum deles correu mal! Dux... já devias ter falado. Estou contigo, mas diz qualquer coisa a esta gente!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tal como todos os dias pela manhã, estava eu hoje a fazer um despreocupado scroll down pelo meu Facebook quando me deparo com este artigo: We asked 1000 Brits to name a Portuguese meal that isn't Piri Piri Chicken. Fiquei deveras espantada com o conhecimento desse povo, cuja culinária é tão vasta ao ponto de não haver em nenhum país que eu conheça um restaurante Britânico. Mais ainda, adoro ver como o próprio autor do artigo considera como certas as respostas 'paella' e 'tapas', pratos tão tipicamente Portugueses - a minha avó fartava-se de fazer.

 

Para começar, adoro o título do artigo pois é óbvio que esta pergunta só pode ter sido feita por algum 'bife' que já passou férias em Albufeira ou Quarteira! Porque é que para os Ingleses 'Chicken Piri Piri' é um prato típico Português? É 'roasted chicken with chilli pepper's sauce', nada mais! Também fiquei a saber que há quem ache que comemos cães e gatos. Somos realmente um povo de boa boca, está-se a ver...

 

Mas como é que um país que chegou a ser dono de metade do Mundo chega a isto?... Santa ignorância!

 

(Imagem tirada daqui)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ora bem, então de maneiras que é assim: eu cresci na zona do Areeiro/Av. de Roma/João XXI. Durante anos, esta era a minha praia portanto acho que sei do que estou a falar. Sem dúvida que tenho alguma pena que o Cinema Londres (onde eu fui tão feliz na adolescência!) vá ser transformado numa loja chinesa, mas não posso negar que há anos que não vou lá ver um filme. A minha pena tem a ver com o facto de um dos locais da minha meninice/pré-adolescência ir desaparecer e ser transformado numa loja cujos artigos foram, muito provavelmente, feitos por pessoas cujas condições de trabalho são, no mínimo, desumanas. Espanta-me, no entanto, esta onda de petições, indignações e (não falta muito) manifestações contra o fecho de um espaço comercial que estava há anos às moscas! É uma questão de lógica... Se não pomos lá os pés, se não gastamos lá dinheiro, como é que queremos que o espaço se mantenha aberto? A culpa é também minha, claro que sim! Mas, caramba, não me venham agora gritar para a rua contra o fecho de um cinema do qual nem se lembravam da existência no dia anterior ao anúncio do seu fecho! Tenham noção, minha gente...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não é da minha autoria, mas não resiti a partilhar. Gostava mesmo muito que os meus netos não falassem assim, mas tenho algum receio...

 



Tás a ver uma dama com um gorro vermelho? Yah, essa cena! A pita foi obrigada pela kota dela a ir à toca da velha levar umas cenas, pq a velha tava a bater mal, tázaver? 

E então disse-lhe: 
- Ouve, nem te passes! Népia dessa cena de ires pelo refundido das árvores, que salta-te um meco marado dos cornos para a frente e depois tenho a bófia à cola! 
Pá, a pita enfia a carapuça e vai na descontra pela estrada, mas a toca da velha era bué longe, e a pita cagou na cena da kota dela e enfiou-se pelo bosque. Népia de mitra, na boa e tal, curtindo o som do iPod... 
É então que, ouve lá, salta um baita dog marado, todo chinado e bué ugly mêmo, que vira-se pa ela e grita: 
- Yoo, tá td? Dd tc? 
- Tásse... do gueto alí! E tu... tásse? - disse a pita 
- Yah! E atão, q se faz? 
- Seca, man! Vou levar o pacote à velha que mora ao fundo da track, que tá kuma moka do camano! 
- Marado, marado!... Bute ripar uma até lá? 
- Epá, má onda, tázaver? A minha cota não curte dessas cenas e põe-me de pildra se me cata... 
- Dasse, a cota não tá aqui, dama! Bute ripar até à casa da tua velha, até te dou avanço, só naquela da curtição. Sem guita ao barulho nem nada. 
- Yah prontes, na boa. Vais levar um baile katéte passas!!! 
E lá riparam. Só que o dog enfiou-se por um short no meio do mato e chegou à toca da velha na maior, com bué avanço, tázaver? Manda um toque na porta, a velha 'quem é e o camano' e ele 'ah e tal, e não sei quê, que eu sou a pita do gorro vermelho, e na na na...'. 
A velha abre a porta e PIMBA, o dog papa-a toda... Mas mesmo, abre a bocarra e o camano e até chuchou os dedos... 
O mano chega, vai ao móvel da velha, saca uma shirt assim mêmo à velha que a meca tinha lá, mete uns glasses na tromba e enfia-se no VL... o gajo tava bué abichanado mêmo, mas a larica era muita e a pita era à maneira, tásaver? 
A pita chega, e tal, e malha na porta da velha. 
- Basa aí cá pa dentro! - grita o dog. 
- Yo velhita, tásse? 
- Tásse e tal, cuma moca do camâno... mas na boa... 
- Toma esta cena, pa mamares-te toda aí... 
- Bacano, pa ver se trato esta cena. 
- Pá, mica uma cena: pa ké esses baita olhos, man? 
- Pá, pa micar melhor a cena, tázaver? 
- Yah, yah... E os abanos, bué da bigs, pa ke é? 
- Pá, pa poder controlar melhor a cena à volta, tázaver? 
- Yah, bacano... e essa cremalheira toda janada e bué big? Pa que é a cena? 
- É PA CHINAR ESSE CORPO TODO!!! GRRRRRRRR!!!! 
E o dog manda-se à pita, naquela mêmo de a engolir, né? Só que a pita dá-lhe à brava na capoeira e saca um back-kick mesmo directo aos tomates do man e basa porta fora! Vai pela rua aos berros e tal, o dog vem atrás e dá-lhe um ganda-baite, pimba, mêmo nas nalgas, e quando vai pa engolir agaja aparece um meco daqueles que corta as cenas cum serrote, saca de machado e afinfa-lhe mêmo nos cornos. O dog kinou logo alí, o mano china a belly do dog e saca de lá a velha toda cheia da nhanha. Ina man, e a malta a gregoriar-se toda!!! 
E prontes, já tá...

JoCortez

Autoria e outros dados (tags, etc)

08
Jan14

Sou do Benfica desde antes de nascer. Não por opção, como deve ter acontecido com a maioria dos adeptos de qualquer clube, mas quase por 'obrigação'. O meu avô materno era daquelas pessoas que têm uma doença chamada 'Benfiquismo'. Muitas das fotos do meu álbum de criança são no antigo Estádio da Luz a passear com o meu avô. Durante anos, pagou todo o papel higiénico do Estádio - não me perguntem porquê este item, deve ter algum significado especial que me escapa - e quando o Benfica era patrocinado pela Parmalat, comprou qualquer coisa como 60 litros de leite (que obviamente tiveram que ser distribuídos por várias casas de familiares) para ajudar o clube. Gravava jogos (só mantinha aqueles em que o Benfica ganhava) e de vez em quando ainda os via e mesmo sabendo o resultado, ainda ralhava com os jogadores e com o árbitro. Era este o nível.

 

Assim, é claro que eu tinha que ser do Benfica e apesar deste fanatismo doentio (que passou totalmente para a minha mãe), eu sou daquelas Benfiquistas que consegue ver quando um penalty é mesmo um penalty e quando um jogador está mesmo fora de jogo (confesso que muitas das vezes só chego a alguma conclusão na repetição, mas consigo ser imparcial). Sou daquelas que sabem distinguir uma mão na bola de uma bola na mão - e já agora, acho ridículo que seja sempre marcado penalty quando isto acontece na grande área quando é óbvio que não há qualquer intenção de desviar a bola com a mão. No entanto, é claro que sou do Benfica. Não tenho simpatia especial pelo Sporting e menos ainda pelo Porto. E muito menos pelo Pinto da Costa, apesar de, de dentes cerrados com muita força, ter que admitir que alguma coisa ele deve fazer bem tendo em conta os resultados dos Dragões. Adiante...

 

Falemos de claques (todas): DEVIAM DESAPARECER!!! Chamem-se No Name Boys, Juve Leo ou Super Dragões! De-sa-pa-re-çam!!! TODOS!!! O que se passa nos estádios de futebol não é desporto, é vandalismo, terrorismo e, acima de tudo estupidez. Não precisamos de vocês, muito obrigadinha!

 

Esta introdução serve para contextualizar o que digo de seguida: OS ENERGÚMENOS QUE SE DIZEM BENFIQUISTAS E QUE QUEIMARAM OS CACHECÓIS DO SPORTING COLOCADOS NA ESTÁTUA DO EUSÉBIO DEVIAM SER CASTRADOS! Não me interessa de que clube são, em que cidade moram, em que bairro vivem. Castração é a minha sentença. O Eusébio era um símbolo nacional e foi com algum espanto e até orgulho que vi os clubismos serem postos de parte até que um (ou uns) palhaço(s) resolvem mostrar que, por alguma razão que qualquer mamífero racional não compreende (nomeadamente eu), adeptos de outros clubes não podem homenagear um dos nossos!!! Mas... perderam a cabeça? Estas homenagens servem para mostrar a grandiosidade de um clube e, acima de tudo, a grandiosidade de um homem que fez parte dele!

 

Eu, que não sou ninguém, peço desde já as minhas desculpas a todos os Sportinguistas e principalmente aos que prestaram esta sincera e despreconceituosa homenagem à nossa maior figura. Pode não servir de muito, afinal sou só uma incógnita adepta, mas por favor perdoem-lhes, eles não sabem o que fazem. E se possível não considerem o todo a partir de umas partes muito pequeninas (principalmente a nível de espírito). Da minha parte, muito obrigada!

 

Imagem tirada daqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

07
Jan14

O Facebook tem uma funcionalidade que permite partilhar os melhores momentos de 2013. É um flop: não são os melhores momentos, mas sim as fotos que tiveram mais likes ou comentários, o que não significa que representem necessariamente o que de melhor aconteceu no ano passado (credo, que ainda me faz confusão dizer que 2013 foi 'o ano passado', quando ainda o mês passado lá estávamos!).

 

Anyway... estive de férias em Ibiza e muitas coisas aconteceram como seria de esperar nas Baleares. Com três amigas. Em Agosto. O vídeo abaixo mostra, sem dúvida, um dos meus melhores momentos de 2013. E não, não aparece na selecção do Facebook. Burros!

 

Apenas algumas notas: isto passou-se deviam ser umas 3 da tarde (hora a que começam as festas 'sunset'). Estão dois senhores a tocar violino e saxofone ao vivo, acompanhados por um DJ que está lá dentro. Toda a gente que está na praia está de joelhos porque assim nos mandaram. E nós obedecemos, claro!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

06
Jan14

Eusébio e Amália

por Princesa
Perdemos os mais icónicos símbolos Portugueses. Amália e Eusébio levaram o nome de Portugal além fronteiras numa altura em que isso só por si era um feito e uma demonstração de amor à pátria. Eusébio foi considerado património nacional para não poder ser transferido para um clube estrangeiro. Era o Pélé da Europa. O Fado foi considerado património imaterial da Humanidade. Não são coisas para passarem despercebidas - se não o são nos dias de hoje, só se consegue imaginar o impacto que tinham numa altura em que Portugal vivia em ditadura, fechada para tudo (ou quase) o que vinha de fora. Eles foram os pioneiros, conseguiram-no, foram os primeiros a dar a conhecer lá fora este cantinho Luso que muitos nem sabiam apontar no mapa. Verdade que muitos ainda hoje não sabem, mas esses não são os que interessam. Os que interessam são os que reconheciam imediatamente os nomes das lontras do Oceanário, os que diziam de imediato 'Fado' e 'Benfica' ao ouvir 'Amália' e 'Eusébio'. Foram e continuarão a ser símbolos de Portugal - continuamos a reger-nos pelos 3 Fs: Fado, Futebol e Fátima, que é como quem diz Amália, Eusébio e... Fátima.
Mas o Mundo não pára e nós não paramos de nos superar, mesmo em tempos difíceis. Não temos os maiores ícones, mas temos umas réplicas que, a meu ver, não lhes ficam muito atrás. Dizia Eusébio que se jogasse futebol hoje, marcaria muitos mais golos. Não tenho dúvidas. E também não tenho dúvidas que estes dois, tivessem nascido uns anos antes, teriam feito também juz ao que é ser Português. Continuamos a ser o país dos 3 Fs, mas para mim agora isso quer dizer mais ou menos Marisa, Cristiano e... Fátima.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D